AgriculturaSecretarias

Emater/RS-Ascar qualifica produção de vinho colonial em Serafina Corrêa

Na Capital Nacional do Talian, os descendentes de imigrantes italianos seguem a tradição de cultivar uvas e elaborar o seu próprio vinho, prática presente em grande parte das propriedades rurais do Município.

Visando qualificar o vinho produzido pelos agricultores e incentivar a vitivinicultura, na quinta-feira, dia 06 de fevereiro, a Emater/RS-Ascar promoveu uma capacitação para um grupo de vinicultores coloniais, tendo como tema os processos de elaboração do vinho, desde a colheita até o engarrafamento.

O engenheiro agrônomo da Emater Leandro Ebert, repassou técnicas que podem ser empregadas mesmo em pequena escala, sem uso de equipamentos sofisticados, as quais podem garantir um bom processo de vinificação. Cuidados simples como a separação do engace, as remontagens na maceração, o uso adequado do açúcar e do metabissulfito de potássio, controle da temperatura nas fermentações e os métodos de evitar a entrada de oxigênio na estabilização, foram algumas orientações recebidas.

A capacitação ocorreu na cantina onde são elaborados os vinhos coloniais da família Somacal, pelos irmãos Davi e Sadi, os quais já aplicam as técnicas apresentadas. Esta é a última safra em que os irmãos confeccionam o vinho no local. Para a próxima vindima, a família está construindo a nova cantina, já em fase de regularização pela Lei do Vinho Colonial. A família está inscrita no Programa Estadual de Agroindústria Familiar, da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e, com a vinícola colonial regularizada, pretende qualificar ainda mais a produção e comercializar os vinhos na região.

Os participantes estão recebendo acompanhamento da Emater/RS-Ascar, desde a produção da uva até o vinho. “Os primeiros resultados das técnicas do manejo da videira já estão sendo observados a campo, nos parreirais e nas uvas colhidas. Agora, pretendemos alcançar bons resultados também no produto final, o vinho, seja para consumo da família ou para produção comercial, como é o caso da família Somacal”, finaliza o extensionista.