Jairo Vidmar

Secretário Municipal

Rua Costa e Silva, 703
Serafina Corrêa – RS
54 3444-1330

secretariosaude@serafinacorrea.rs.gov.br

Telefones Úteis

Recepção e Agendamento de Consultas: 3444-9350/3444-9351/3444-1330
Setor de Transportes 3444-9352
Marcação de Consultas com especialistas e Exames: 3444-9353
Farmácia Básica: 3444 9355
Medicação Especial: 3444 9356
Setor de Vacinação: 3444 9357
Administrativo, AIHS, Faturamento: 3444-1136/3444-9358
Vigilância Epidemiológica: 3444 9360
Vigilância Sanitária: 3444 9361
Vigilância em Saúde: 3444 1597

Estrutura

A Secretaria Municipal de Saúde é o órgão do Poder Executivo Municipal que tem por competência:

– planejar, organizar, gerir, executar, controlar e avaliar as ações e os serviços públicos de saúde;
– participar do planejamento, programação e organização da rede regionalizada e hierarquizada do Sistema Único de Saúde – SUS, em articulação com sua direção estadual;
– a execução de programas de ação preventiva, de educação sanitária e de vacinação permanente, em coordenação com as esferas estaduais e federais;
– o desenvolvimento e a execução de serviços de vigilância epidemiológica e sanitária, de alimentação e nutrição, de saneamento básico e de saúde do trabalhador;
– a orientação do comportamento de grupos específicos em face de problemas de saúde, higiene, condições sanitárias e outros;
– a fiscalização do cumprimento das posturas municipais referentes ao poder de polícia aplicado à higiene pública e ao saneamento;
– colaborar na fiscalização das agressões ao meio ambiente que tenham repercussão sobre a saúde humana e atuar, junto aos órgãos municipais, estaduais e federais competentes, para controlá-las;
– gerir laboratórios de saúde e hemocentros;
– colaborar com a União e o Estado na execução da vigilância sanitária de portos, aeroportos e fronteiras;
– celebrar contratos e convênios com entidades prestadoras de serviços privados de saúde, bem como controlar e avaliar sua execução;
– controlar e fiscalizar os procedimentos dos serviços privados de saúde;
– normatizar, complementarmente, as ações e serviços públicos de saúde no seu âmbito de atuação;
– o desempenho de outras competências afins.

A Secretaria Municipal de Saúde compreende em sua estrutura as seguintes unidades:

– Coordenadoria Geral

– Departamento de Serviços de Saúde em Medicina
-> Divisão de Planejamento e Aplicação
-> Divisão de Procedimentos de Média e Alta Complexidade
-> Assessoria Técnica em Procedimentos, Consultas Especializadas e Exames

– Departamento de Serviços de Saúde em Odontologia

– Departamento de Serviços de Transportes
-> Divisão de Planejamento e Estatística de Transportes
-> Assessoria Administrativa de Controle e Transportes de Pacientes

– Autorizador dos Serviços de Auditoria da Secretaria da Saúde

– Departamento de Serviços de Auditoria

– Departamento de Vigilância em Saúde
-> Divisão de Serviços de Vigilância e Fiscalização

– Departamento Administrativo dos Serviços de Saúde
-> Divisão de Saúde
-> Divisão Administrativa
-> Assessoria Administrativa dos Serviços de Higiene e Controle de Material de Saúde.

– Assessoria Administrativa

Serviços

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERAFINA CORRÊA – SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

INTRODUÇÃO AO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

O sistema único de saúde é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo. Ele abrange desde o simples atendimento ambulatorial até o transplante de órgão, garantindo acesso universal, integral e gratuito para toda a população do país. O sistema único de saúde foi criado em 1988, pela constituição federal brasileira, para ser o sistema de saúde de todos o brasileiro. Além de oferecer consultas, exames e internações, o sistema também promove campanhas de vacinação e ações de prevenção e de vigilância sanitária: como fiscalização de alimentos e registro de medicamentos, atingindo, assim, a vida de cada um dos brasileiros. Antes da criação do SUS, que completou 28 anos em 2016, a saúde não era considerada um direito social.

O modelo de saúde adotado até então dividia os brasileiros em três categorias: os que podiam pagar por serviços de saúde privados; os que tinham direito à saúde pública por serem segurados pela previdência social(trabalhadores com carteira assinada); e os que não possuía direito algum. Assim, o SUS foi criado para oferecer atendimento igualitário e cuidar e promover a saúde de toda a população. O Sistema constitui um projeto social único que se materializa por meio de ações de promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

O Centro Municipal de Saúde (CMS) está localizada na Rua Costa e Silva nº 639, com o horário de atendimento das 07:00 às 17:00 horas.

O CMS possui um quadro de profissionais médicos, sendo 02(dois) Ginecologista/Obstetra, 02(dois) Pediatras, 04(quatro) Clínicos Gerais e 01(um) médico ecografista, também oferece serviços odontológicos com 02(dois) profissionais Cirurgião Dentista.

No estabelecimento de saúde são realizados exames de Ecografias e de Eletrocardiograma com prévio agendamentos encaminhados por médicos do quadro de profissionais do SUS.

AGENDAMENTO

O agendamento e realizado através dos telefones (54) 3444 1330, 3444 1398, 3444 3747, ou pessoalmente, com os documentos de identificação e obrigatoriamente o Cartão Nacional de Saúde.

As consultas são disponibilizadas conforme a demanda diária, sendo que são marcados conforme a disponibilidade do agendamento, caso o paciente necessitar da consulta antecipadamente, é realizado o acolhimento pela Enfermeira padrão responsável.

São disponibilizados 13 consultas por turno na especialidade Clínico Geral, Ginecologia e Pediatria, sendo que é assegurado algumas vagas para o dia em caso de necessidade.

O horário de funcionamento do agendamento: 07:00 às 17:00 horas.

UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

A gestão municipal de saúde, possui 04 (quatro) Unidades Básicas de Saúde, como segue:

Unidade Básica de Saúde Gramadinho:
Localização: Rua Piratini nº10, Bairro Santa Lúcia
Responsável: Enfermeira Claudete Agador Mezzomo
Horário de Funcionamento: 07:30 as 11:30 e 13:00 as 17:00
Telefone: (54) 3444 1422
Equipe: A equipe de saúde da unidade gramadinho conta com Médico, Enfermeiro, Técnica de enfermagem, Auxiliar de consultório dentário, Atendente de farmácia, Cirurgião Dentista, Recepcionista, auxiliar de serviços gerais e Agentes Comunitários de saúde.

Unidade Básica de Saúde Santin;
Localização: Rua Adivo Crema, nº 260, Bairro Santin
Responsável; Enfermeira Luciana Tres
Horário de funcionamento: 07:30 as 11:30 e 13:00 as 17:00
Telefone: (54) 3444 1192
Equipe: A equipe de saúde da unidade Santin conta com Médico, Enfermeiro, Técnica de enfermagem, Auxiliar de consultório dentário, Atendente de farmácia, Cirurgião dentista, Auxiliar de serviços gerais e Agentes Comunitários de Saúde.

Unidade Básica de Saúde Planalto
Localização: Rua Via Venezia, nº 1489, Bairro Planalto
Responsável: Enfermeira Eliana Amabile Scopel
Horário de Funcionamento: 08:00 as 12:00 e 13:00 as 17:00
Telefone: (54) 3444 2142
Equipe: A equipe de saúde da unidade Planalto conta com Médico, Enfermeiro, Técnica de enfermagem, Auxiliar de consultório dentário, Atendente de farmácia, Cirurgião Dentista, Auxiliar de serviços gerais e Agentes Comunitários de Saúde.

Unidade Básica de Saúde Aparecida
Localização: Rua Belluno, nº 1817, Bairro Aparecida
Responsável: Enfermeira Angela Lourdes Rieger
Horário de Funcionamento: 08:00 as 12:00 e 13:00 as 17:00
Telefone: (54) 3444 2428
Equipe: A equipe de saúde da unidade Aparecida conta com Médico, Enfermeiro, Técnica de enfermagem, Atendente de farmácia, Cirurgião Dentista, Auxiliar de serviços gerais e Agentes Comunitários de Saúde.

TRANSPORTE FORA DO DOMICILIO (TFD)

O transporte para paciente que necessitam de tratamento fora do domicílio é exclusivo para pacientes encaminhados pelo Sistema Único de Saúde.

Horários de atendimento no Centro Municipal de Saúde: 07:30 às 11:30 e 13:00 às 17:00 horas.

O agendamento do transporte é realizado pessoalmente na presença do paciente, com documentação de identificação e comprovante de consulta, o agendamento deve ser realizado com 15(quinze) dias de antecedência.

Horário de Saída dos Transportes:

Destino:
Porto Alegre: 03:50 horas de Segundas às Sextas-feiras;
Passo Fundo: 05:50 horas pela manhã de Segunda às Sextas-feiras;
Passo Fundo: 11:00 horas pela tarde de Segunda às Sextas-feiras;

No final de semana o transporte é fornecido em regime de plantão.

EXAMES E CONSULTAS ESPECIALIZADAS

O primeiro acesso aos exames e consultas com especialidades médicas se da somente para pacientes que consultaram com os médicos do SUS e encaminhados pelos mesmos.

Horário de atendimento: 07:00 as 12:00 e 13:00 às 17:00.

O agendamento de consultas e exames com especialidades médicas é realizado através do sistema SISREG, sistema de regulação regional, que disponibiliza cotas consultas de diversas especialidades para o município, que o mesmo e regulado pelo estado. As consultas ou exames de maior complexidade o estado disponibiliza o sistema GERCON, sistema de regulação estadual, que na qual os pacientes são encaminhados para especialidades que atendem em hospitais de Porto Alegre.

A consulta do paciente agendado no SISREG ou no GERCON se dá pela complexidade da doença, a triagem é realizada por profissionais do estado que operam os sistemas, quanto maior a complexidade menor é a espera e assim sucessivamente.

A Secretaria Municipal de Saúde conta com diversas clínicas terceirizadas que atendem no município de diversas especialidades, para facilitar o tratamento do paciente SUS. O paciente que possui algum diagnóstico de fácil resolutividade que não necessite de intervenções cirúrgicas os mesmos são encaminhados para tratamento com profissionais terceirizados que atendem no município.

AÇÕES DE SAÚDE

Grupo de Gestantes

O grupo de gestante funciona no Centro Municipal de Saúde, com encontros mensais conforme cronograma. Conta com a participação de profissionais da equipe médica (pediatra e ginecologista), enfermagem, nutricionista, psicólogo e convidados.

Nos encontros são realizados palestras, orientações, instruções e cuidados com a criança recém-nascida e com a gestante.

Quem pode participar: Todas as gestantes do município da rede pública e privada.

Grupos de Hiperdia

O Hiperdia destina-se ao acompanhamento de portadores de hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus atendidos no Sistema Único de Saúde. Visa promover a adesão ao tratamento por meio de atividades educacionais coletivas, com o objetivo de preparar o indivíduo para lidar com suas novas necessidades, garantindo sua participação efetiva no processo de prevenção da doença e das suas complicações. Nos grupos pode-se trabalhar o processo de educação sobre a doença, suas consequências e as vantagens de aderir o tratamento prescrito, bem como temas de interesse coletivo.

Os grupos são realizados a cada dois meses nas unidades básicas de saúde e em bairros do município. Atualmente os locais de realização dos encontros são: salão do Bairro Pedregal; Unidade de Saúde do Bairro Gramadinho; Unidade de Saúde do Bairro Aparecida; Salão da Capela Salete; Salão da Capela Fátima; Posto de Saúde de Silva Jardim; Salão do Bairro Santin e Unidade de Saúde do Bairro Planalto.

Controle do Tabagismo

A equipe condutora dos encontros é composta por médica, psicóloga, enfermeira e farmacêutica. Os profissionais receberam capacitação no Centro Estadual de Vigilância em Saúde e são responsáveis pelo Programa de Controle do Tabagismo no município.

O Programa de Controle do Tabagismo conta com uma equipe especializada e capacitada que dará todo o apoio necessário aos usuários que desejam abandonar o uso do tabaco. Os usuários que tiverem interesse em participar devem, primeiramente, inscrever-se na recepção das Unidades Básicas de Saúde e, em seguida, serão chamados por ordem de inscrição. Os encontros acontecem conforme cronograma distribuido nas reuniões. A base do programa é a mudança cognitiva comportamental em relação ao vicio de tabaco, como auxilio também é fornecido medicamentos, gomas de mascar e adesivos, sendo fornecidos por prescrição médica.

Este programa tem sua regulamentação e controle realizada pelo Ministério da Saúde. Os medicamentos e insumos só podem ser fornecidos aos pacientes mediante participação nos encontros do grupo.

Programa de oficinas terapeuticas

As Oficinas Terapêuticas Tipo II fazem parte da linha de cuidado em saúde mental da Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul. São grupos de convivência abertos ao público que tem por objetivo promover saúde e manter socialização entre os usuários que possuem doenças mentais e os outros usuários tendo como pano de fundo uma atividade afim, como artesanato e teatro. A oficina terapêutica existente no município atende cerca de 60 indivíduos em duas modalidades Teatro e Artesanato.

No momento está em processo de negociação a abertura de duas oficinas na modalidade de artesanato no Centro Municipal de Saúde e no Bairro Gramadinho. Já está em funcionamento uma oficina de expressão corporal/iniciação ao teatro na Academia de Saúde do Bairro Gramadinho. As oficinas de artesanato são destinadas ao público adulto e a de iniciação ao teatro ao público infanto juvenil. As oficinas terapêuticas na atenção básica tem apoio do Grupo Condutor em Saúde Mental do Município. As oficinas funcionam em espaços comunitários como nas unidades de saúde, nos salões de comunidade e nas academias de saúde.

Para participar das oficinas, o usuário necessita entrar em contato com a unidade básica de saúde, ou ser encaminhado por algum profissional da rede de atenção em saúde. A administração pública fornece os materiais e os oficineiros para o desenvolvimento dos trabalhos.

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

Farmácia Básica:

O serviço de farmácia básica da Secretaria Municipal de Saúde está disponível em todas as unidades básicas do município com atendimento diário à comunidade conforme o horário de funcionamento das unidades. Os medicamentos controlados pela Portaria 344/1998 somente são dispensados na farmácia central. Para retirada de medicamentos é necessário que o usuário apresente a receita médica válida proveniente do sistema único de saúde e cartão SUS.
Farmácia Básica Central:
Horário de atendimento: diariamente das 07:00 às 17:00 horas.

Medicamentos Especiais:

Com relação aos medicamentos/dietas especiais e/ou de alto custo fornecidos pelo Estado é necessários exames e documentos conforme o protocolo elaborado pelo Estado, sendo que o paciente deverá conferir se o medicamento solicitado consta na relação de medicamentos disponibilizados pelo SUS. Para que estes medicamentos sejam dispensados é necessário que seja aberto um Processo Administrativo na Secretaria Municipal de Saúde, entregando toda documentação descrita nos protocolos.
Horário de atendimento: diariamente das 08:00 às 11:00 e 13:00 às 17:00 horas.

VIGILÂNCIA EM SAÚDE

A vigilância em saúde esta localizada na Rua Costa e Silva, nº 703, e é composta pela Vigilância Sanitária, Vigilância Ambiental, Vigilância Epidemiológia e Vigilância da Saúde do Trabalhador.

Horário de Atendimento: O departamento de vigilância em saúde atende pelo telefone (54) 3444 1597 no horário 07:30 às 12:00 e 13:00 às 17:00.

A Vigilância em Saúde é uma prática social e de saúde pública que visa a vigilância de pessoas, de riscos e de doenças, através de ações desenvolvidas pelas equipes de vigilância. Propõe-se a integrar as “vigilâncias” promovendo a intersetorialização.

Encontra-se no Organograma da Secretaria Municipal de Saúde como Departamento de Vigilância em Saúde e é dividida em quatro unidades: Vigilância Sanitária, Vigilância Epidemiológica, Vigilância Ambiental e Vigilância em saúde do trabalhador. Todas as vigilâncias desenvolvem ações educativas com o objetivo de conscientizar a população quanto a importância das ações de prevenção a fim de reduzir e eliminar risco à saúde de toda a população.

As ações e metas a serem realizadas pela Vigilância em Saúde são pactuadas com o Ministério da Saúde (MS) e Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), anualmente. Ao final de cada ano, o MS e o CEVS fazem uma avaliação das metas pactuadas, verificando o percentual atingido pela vigilância municipal. A Vigilância em Saúde sempre atingiu o percentual pactuado cumprindo assim as metas propostas e desenvolvendo as ações programadas. Mensal, trimestral e semestralmente são enviados relatório de cada vigilância à 6CRS e ao CEVS para comprovar as atividades realizadas. O controle dentro da Vigilância em Saúde é realizado através de planilhas diárias, relatório de inspeção e relatórios mensais, que são entregue a Coordenadora da Equipe para avaliação e verificação das atividades desenvolvidas. Anualmente a 6ªCRS realiza auditoria no município para verificar “in loco” a realização das ações realizadas pelas equipes.

A equipe de trabalho é formada por:
– 1 Farmacêutica e Bioquímica ;
– 3 Fiscais Sanitários;
– 1 Enfermeiro; e,
– 1 Agente de Endemias.

Vigilância Sanitária:

Entende-se por Vigilância Sanitária um conjunto de ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde. A VISA é muito mais do que um conjunto de ações, é prática de vida, é prática social cidadã de inclusão. Enfim, a VISA é responsável por promover e proteger a saúde e prevenir a doença por meio de estratégias e ações de educação e fiscalização.

O campo de atuação da VISA é amplo e quase inesgotável, intervindo em todos os aspectos que possam dizer respeito à saúde dos cidadãos:

– Vigilância de Produtos: Alimentos (indústria e comércio), medicamentos, cosméticos e saneantes e sangue;
– Vigilância em Estabelecimentos de Saúde (Hospital, Farmácias e drogarias, consultórios, clínicas, unidades básicas de saúde, Laboratórios, serviços de ultrassonografia;
– Estabelecimentos de interesse a saúde: Academias, salões de beleza, escolas, rodoviária, funerária, hotéis, motéis e pensões, óticas, massoterapia, distribuidoras de embalagens.

Vigilância ambiental:

A relação entre a Saúde e o Ambiente sempre esteve presente, por demanda da sociedade, no planejamento das ações de saúde. No entanto, somente com a evolução tecnológica, especialmente dos sistemas de informações, tornou-se possível o planejamento integrado entre os diversos setores envolvidos, como: produtivo, ambiental, infraestrutura e saúde. A relação existente entre o ambiente e o padrão de saúde da população diz respeito a todos os elementos que, direta ou indiretamente, afetam a saúde (exposição à substâncias químicas, elementos biológicos, estado psíquico do indivíduo, até os relacionados aos aspectos negativos de desenvolvimento social e econômico dos países).

A implantação da Vigilância Ambiental em Saúde, com um novo modelo de atenção significa um avanço fundamental nas ações de promoção e proteção à saúde da população, que se dará por meio do monitoramento e do controle de uma variedade de problemas decorrentes do desequilíbrio do meio ambiente, visando a eliminar ou a reduzir a exposição humana a fatores prejudiciais à saúde.

Como principais objetivos da Vigilância Ambiental destacam-se:

– Produzir, integrar, processar e interpretar informações, visando a disponibilizar ao SUS instrumentos para o planejamento e execução de ações relativas às atividades de promoção da saúde e de prevenção e controle de doenças relacionadas ao meio ambiente;
– Identificar os riscos e divulgar as informações referentes aos fatores ambientais condicionantes e determinantes das doenças e outros agravos à saúde;
– Intervir com ações diretas de responsabilidade do setor ou demandando para outros setores, com vistas a eliminar os principais fatores ambientais de riscos à saúde humana;
– Promover, junto aos órgãos afins ações de proteção da saúde humana relacionadas ao controle e recuperação de meio ambiente;

Principais ações da Vigilância Ambiental:

– Vetores da Dengue;
– Vetores da Doença de Chagas;
– Acidentes por Animais Peçonhentos;
– Raiva Humana;
– Simulídeos (Borrachudo);
– Reservatórios Caninos, Felinos e Morcegos da Raiva;
– Vigilância e Controle da Qualidade da água para consumo humano;

Vigilância Epidemiológica:

Um conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos.

A Vigilância Epidemiológica disponibiliza informações atualizadas sobre a ocorrência de doenças e agravos, bem como dos seus fatores condicionantes em uma área geográfica ou população determinada para a execução de ações de controle e prevenção.

São funções da Vigilância Epidemiológica: coleta de dados; processamento de dados coletados; análise e interpretação dos dados processados; recomendação das medidas de controle apropriadas; promoção das ações de controle indicadas; avaliação da eficácia e efetividade das medidas adotadas; divulgação de informações pertinentes.

A Vigilância Epidemiológica está estruturada em três núcleos:

– Núcleo de Imunizações: vacinação de rotina conforme o Calendário Básico de Vacinação da criança, adulto e idoso estabelecido pelo Programa Nacional de Imunizações; Campanhas de vacinação; Eventos Adversos (notificação e investigação); Alimentação do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações – SI – PNI
– Núcleo de Vigilância das Doenças e Agravos Não Transmissíveis: notificação e investigação de casos suspeitos e ou confirmados de Violência (Contra Criança e Adolescente, contra o Idoso, contra a mulher); Sistema de Mortalidade (SIM) e Nascidos Vivos (SINASC); Investigações de óbitos; vigilância e promoção da saúde nas violência e acidentes de trânsito.
– Núcleo de Vigilância das Doenças Transmissíveis: Notificação, investigação e encerramento de casos suspeitos e ou confirmados de Doenças de Notificação Compulsória – DNC (ex; Hepatite, HIV, Tuberculose, Varicela, Sarampo, entre outras), surtos e agravos; busca ativa de de casos de DNC.

Vigilância em Saúde do Trabalhador:

Conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho. Assim a Vigilância em Saúde do Trabalhador (DVST) trabalha, de forma integrada com as demais vigilâncias, seguindo o princípio da descentralização, no qual os municípios assumem as ações das unidades e serviços de saúde, de forma intersetorial, no sentido da promoção da integralidade e resolutividade das ações.

Núcleo de Vigilância dos Agravos à Saúde do Trabalhador. Elabora o perfil epidemiológico, através da coordenação e viabilização do SIST, bem como monitora os eventos e fatores de risco relacionados às causas externas. Monitora detecta e analisa os fatores de determinantes e condicionantes dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, intervindo de maneira a assegurar a eliminação e/ou controle dos mesmos. Divulga informações pertinentes á Saúde do trabalhador e subsidia ações de educação em saúde.

Sistema de Informação em Saúde do Trabalhador – SIST/RS – com o objetivo de estabelecer a notificação compulsória de todos os acidentes e doenças relacionadas ao trabalho no Rio Grande do Sul.

Para viabilizar o fluxo de informação das notificações foram elaborados as RINA (Relatório Individual de Notificação de Agravos) que devem ser preenchidas e digitadas no Sistema de informação referente a saúde do Trabalhador. Envolve todos agravos e doenças relacionados à Saúde do Trabalhador.

SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA – SAMU

O SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência é um serviço de saúde desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde o Rio Grande do Sul em parceria com o Ministério da Saúde e as Secretarias Municipais de Saúde.

Ao ligar para o número 192, você ligará para uma Central de Regulação de Emergências Médicas que conta com profissionais de saúde e médicos treinados para dar orientações de primeiros socorros por telefone através de telemedicina. São estes profissionais que definem o tipo de atendimento, ambulância e equipe adequados a cada caso. Há situações em que basta uma orientação por telefone. Em outras, a intervenção da equipe se faz necessária. O SAMU atende pacientes na residência, no local de trabalho, na via pública, ou seja, através do telefone 192 o atendimento chega ao usuário onde quer que ele esteja, através de diferentes meios de socorro. A equipe presta atendimento já no local, ainda fora do ambiente hospitalar, salvando vidas e diminuindo a possibilidade de sequelas. O programa oferece o direcionamento para o serviço de estabilização mais próximo e adequado para a situação do paciente.

Nos anos 2008 a 2013, as equipes do SAMU já salvaram mais de um milhão de vidas no Rio Grande do Sul.

O SAMU 192 deve ser acionado nos seguintes casos:

– Acidentes / traumas com vítimas;
– Choque elétrico;
– Falta de ar intensa;
– Suspeita de Infarto ou AVC (alteração súbita na fala, perda de força em um lado do corpo e desvio da comissura labial são os sintomas mais comuns);
– Afogamentos e engasgo;
– Intoxicação ou queimaduras graves;
– Trabalhos de parto em que haja risco de morte para a mãe e para o feto;
– Tentativas de suicídio;
– Urgências psiquiátricas;
– Vítima inconsciente;
– Em casos de intoxicação exógena ou envenenamento;
– Na ocorrência de maus tratos;
– Crises hipertensivas; dores no peito de aparecimento súbito;
– Acidentes com produtos perigosos;
– Agressão por arma de fogo ou arma branca;
– Soterramento, Desabamento;
– Crises Convulsivas;
– Na transferência inter-hospitalar de doentes graves;
– Outras situações consideradas de urgência ou emergência, com risco de morte, sequela ou sofrimento intenso.

Não chame o SAMU para:

– Febre prolongada;
– Dores crônicas;
– Vômito e diarréia;
– Levar pacientes para consulta médica ou para realizar exames;
– Transporte de óbito;
– Dor de dente;
– Transferência sem regulação médica prévia;
– Trocas de sonda;
– Corte com pouco sangramento,
– Entorses;
– Cólicas renais;
– Transportes inter-hospitalares de pacientes de convênio;
– Todas as demais situações onde não se caracterize urgência ou emergência médica.

Nestes casos e em todos os casos que NÃO haja caracterização de urgência ou emergência, o paciente poderá ser encaminhado ao posto de saúde ou então as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) mais próximas.

FINANCIAMENTO DO SUS

A Constituição Federal de 1988 determina que as três esferas de governo – federal, estadual e municipal – financiem o Sistema Único de Saúde (SUS), gerando receita necessária para custear as despesas com ações e serviços públicos de saúde. Planejar este financiamento, promovendo arrecadação e repasse necessários de forma a garantir a universalidade e integralidade do sistema, tem se mostrado, no entanto, uma questão bem delicada. As restrições orçamentárias para o setor – sobretudo a falta de recursos nos municípios – e a necessidade premente de superá-las fazem com que as discussões sobre o financiamento ocupem constantemente a agenda dos movimentos sociais e políticos que atuam em defesa do SUS.

Os percentuais de investimento financeiro dos municípios, estados e União no SUS são definidos atualmente pela Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012, resultante da sanção presidencial da Emenda Constitucional 29. Por esta lei, municípios e Distrito Federal devem aplicar anualmente, no mínimo, 15% da arrecadação dos impostos em ações e serviços públicos de saúde cabendo aos estados 12%. No caso da União, o montante aplicado deve corresponder ao valor empenhado no exercício financeiro anterior, acrescido do percentual relativo à variação do Produto Interno Bruto (PIB) do ano antecedente ao da lei orçamentária anual.

Documento elaborado por:
Wagner Luis Vallar Rodrigues
Agente Administrativo

Apoio:
Fernanda Sordi
Farmacêutica

Cristiane Baesso Madalosso
Agente Administrativo

Quadros de profissionais médicos e odontológicos

Atualizada em agosto/2019.

Quadro de Profissionais Médicos e Odontólogos do Centro Municipal de Saúde

Profissional

Cargo

Carga Horária Semanal

Horário de Atendimento

Ito José Moraes Brandão

Médico Clínico Geral

40 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:00 às 11:30h / 12:30 às 16:00h

Ítalo Ribeiro Henning

Médico Clinico Geral

12 horas

Segunda-feira:

08:30 às 12:30h / 13:00 às 17:00h

Sexta-feira:

Procedimentos agendados – 08:30 às 12:30h

Ronaldo Cecagno

Médico Clínico Geral

Laudo Médico

Segunda a Sexta-feira:

07:30 às 11:30h / 13:00 às 17:00h

Anyelle Correia Baltha

Médico clinico Geral

contrato

40 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:30 às 11:30h / 13:00 às 17:00h

Edson Ricardo Dalberto

Médico Pediatra

40 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:00 às 12:00h / 13:00 às 16:00h

Ildo Zanchin

Médico Pediatra

20 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:00 às 11:00h

Giuliano Augusto Bruschi

Médico Ginecologista e Obstetra

40 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:00 às 12:00h / 13:00 às 16:00h

Sarita Cunha Crespo

Médica Ginecologista e Obstetra

40 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:00 às 12:00h / 13:00 às 16:00h

Pieraldo José Santos Suazo

Médico Ultrassonografista

20 horas

Terça e Quarta-feira:

07:30 às 17:30h

Marta Scherdien dos Santos

Odontóloga

20 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:00 às 11:00h

Eduardo Zamprogna Matielo

Odontólogo

04 horas

Quinta-feira:

07:30 às 11:30h (próteses)

Jhonatan Luis Presotto

Médico Clínico Geral

12horas

Terça-feira, Quarta-feira e Quinta-feira

07:30 às 11:30 h

 

QUADRO MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS DA UBS SILVA JARDIM

PROFISSIONAL

CARGO

CARGA HORÁRIA SEMANAL

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Eduardo Zamprogna Matielo

Odontólogo

4 horas

Quarta-feira

08:00 às 12:00*

Italo Henning

Médico Clínico Geral

8 horas

Terça e quinta-feira

07:30 às 11:30*

Sarita Cunha Crespo

Médica Ginecologista e Obstetra

4 ou 8 horas mensais conforme cronograma

Quarta-feira07:30 às 11:30*

* Horário de enfermeira e médicos incluso horário de deslocamento, transporte de outros funcionários e suporte em outras unidades.

* Horário odontólogo incluso horário de deslocamento e gestão.

QUADRO MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS DA UNIDADE SANTIN

PROFISSIONAL

CARGO

CARGA HORÁRIA SEMANAL

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

JANSSEN S. FERNANDEZ

Médico de saúde da família

40 horas

7:30 às 11:30 h e 13 às 17 horas

ELIS TAMIRES KARLINSKI

Odontólogo

40 horas

07:30 às 11:30 horas e das 13 às 17 horas

Sarita Cunha Crespo

Médica Ginecologista e Obstetra

4 horas ou 9 horas mensais conforme cronograma

Quarta-feira

07:30 às 11:30*

 

QUADRO MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS DA UNIDADE APARECIDA

PROFISSIONAL

CARGO

CARGA HORÁRIA SEMANAL

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Rolf Praetzel Schaurich

Médico Clínico Geral

40 horas

Segunda a Sexta-feira:

07:30 às 11:30 horas e das 13 às 17 horas

EDUARDO ZAMPROGNA MATIELO

Odontólogo

20 horas

Terça e quinta-feira

13 às 15:30 h

Giuliano Augusto Bruschi

Médica Ginecologista e Obstetra

4 horas ou 8 horas mensais conforme cronograma

 

QUADRO MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS DA UNIDADE PLANALTO

PROFISSIONAL

CARGO

CARGA HORÁRIA SEMANAL

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

MATHEUS TAVARES TORRES MIRANDA

MÉDICO – PROGRAMA MAIS MÉDICOS

40 HORAS SEMANAIS – 32 EM ASSISTÊNCIA E 8 HORAS PARA ESTUDO

7:30 às 11:30 h e das 13 às 17 horas de segunda a quinta-feira

MAELE MARIA MARTINS PATUZZI

Odontólogo

40 horas

07:30 às 11:30 horas e das 13 às 17 horas

SARITA CUNHA CRESPO

Médica Ginecologista e Obstetra

4 horas ou 8 horas mensais conforme cronograma

 

QUADRO MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS DA UNIDADE GRAMADINHO

PROFISSIONAL

CARGO

CARGA HORÁRIA SEMANAL

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

JULIA COSTA FERRO

MÉDICA CLINICA GERAL

40 horas

7:30 às 11:30 h e 13 às 17 horas

THIAGO WEBER PAGNO

Odontólogo

40 horas

07:30 às 11:30 horas e das 13 às 17 horas

GIULIANO AUGUSTO BRUSCHI

Médica Ginecologista e Obstetra

4 horas ou 8 horas mensais conforme cronograma

TATIANA SALINI MARIN

Médica clinica geral

20 horas

Quartas-feira – 08 às 14 horas

Sexta-feira das 11 às 17 horas

* O registro de frequência dos profissionais estará disponível para consulta de qualquer cidadão.

Skip to content